“Eu amo Trás-os-Montes naquele silêncio das florestas e das estradas afastadas que aguardam ora a neve, ora o pavor do Verão. Amo-o ainda mais quando vejo a cor da terra e a sombra dos seus castelos em ruínas, quando suspeito o fundo dos rios, os recantos junto dos açudes e a altura das árvores. E perco-me desse mal de paixão, quando, de longe, Trás-os-Montes se assemelha vagamente a uma terra prometida aos seus filhos mais distantes, ou mais expulsos, ou mais ignorados, ou mais mortos apenas. E amam-se aquelas árvores porque vêm do interior da terra, justamente, sem invocar a sua antiguidade ou a sua grandiosidade. Ama-se o frio, até, o esplendor das geadas sobre os lameiros, o sabor da comida que nunca perdeu a intensidade nem a razão. E amam-se os rios, os areais, os poços das hortas, as cancelas de madeira que vão perdendo a cor, e talvez se amem o fogo das lareiras, os ramos mais altos dos freixos e das cerejeiras, os jardins abonecados das suas cidades, o granito das casas, o cheiro das aldeias onde ao fim da tarde se chama paz ao silêncio e se dá nome de chuva à água do céu.”
Francisco José Viegas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Pombos, um "hobby" ou uma praga ?

Bem... para mim são as duas coisas .
Os pombos, para muitas pessoas, são vistos como uma praga, até há quem lhe chame de ratos voadores . Quando em grande numero causam elevados prejuízos, principalmente nas cidades, danificando monumentos, estátuas e pinturas...

Por outro lado, temos a columbofilia, que é uma actividade virada para a criação de raças com alguns fins, bem como exposições e concursos (corridas). Neste caso não são pombos comuns, mas sim aves que tem tratamento . Além de mais, são registados e anilhados.

Contudo, não nos devemos esqueçer que, os pombos tiveram um papel glorioso na 1ª e 2ª Guerra Mundial . Eram os mensageiros voadores, (pombos correios) transportando mensagens escritas entre os soldados nos campos de batalha e as suas respectivas bases ! " O pombo correio, nunca leva. Tràz. "

Nesta visita a casa do meu Tio Fernando, fiquei realmente surpreendido em ver tanta pomba junta, dizendo-me ele que o numero deve ultrapassar os duzentos ! Este numero significativo deve-se ao facto de, pombos vadios irem ali asilar e principalmente a procriação entre si, sendo esta de quatro a cinco vezes por ano, onde são postos dois ovos em cada nidificação .

Um dos ovos a eclodir .

Estes pássaros conhecem bem o seu dono ! É engraçado ver, logo pela manhã o meu Tio a chamar por elas para lhes dar de comer, mais parecem um enxame de abelhas, poisando-lhe até em cima dos ombros !
" O pombo é o pássaro símbolo da paz . "

1 comentário:

Paulo Ferreira disse...

Que bem que soube falar a pessoa comentarista do meu ultimo post publicado ! Posteriormente removido...