“Eu amo Trás-os-Montes naquele silêncio das florestas e das estradas afastadas que aguardam ora a neve, ora o pavor do Verão. Amo-o ainda mais quando vejo a cor da terra e a sombra dos seus castelos em ruínas, quando suspeito o fundo dos rios, os recantos junto dos açudes e a altura das árvores. E perco-me desse mal de paixão, quando, de longe, Trás-os-Montes se assemelha vagamente a uma terra prometida aos seus filhos mais distantes, ou mais expulsos, ou mais ignorados, ou mais mortos apenas. E amam-se aquelas árvores porque vêm do interior da terra, justamente, sem invocar a sua antiguidade ou a sua grandiosidade. Ama-se o frio, até, o esplendor das geadas sobre os lameiros, o sabor da comida que nunca perdeu a intensidade nem a razão. E amam-se os rios, os areais, os poços das hortas, as cancelas de madeira que vão perdendo a cor, e talvez se amem o fogo das lareiras, os ramos mais altos dos freixos e das cerejeiras, os jardins abonecados das suas cidades, o granito das casas, o cheiro das aldeias onde ao fim da tarde se chama paz ao silêncio e se dá nome de chuva à água do céu.”
Francisco José Viegas

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Progresso



Esta imagem aérea de Paradela foi tirada à cerca de 20 anos. Por aqui se pode verificar que efectivamente a aldeia mudou substancialmente nos ultimos anos. Basta ver o Bairro do Pombal. Quem o viu e quem o vê.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sim é verdade!

Mas poderia ser muito, muito maior! Não fosse a mania das grandesas de muitos "fidalgos" (ou serão agora Outeirosequenses) que optaram por se fixarem em terra alheia, justificande-se por estar perto da cidade, pergunto eu... Paradela é longe? Nem parece que muitos deles vieram do estrangeiro ou das grandes cidades portuguesas, para não entenderem que neste mundo moderno a distancia não se mede em espaço mas sim em tempo! Quem me dera a mim fazer os 16 km que me separam do meu local de trabalho em 10min! Deixemo-nos de lamechices, mas a verdade é que basta olhar para Curral de Vacas ou Mairos para ver que cresceram bem mais que Paradela! E isto porque? REPITO: Mania das grandezas!

Dou os meus parabéns aqueles que tudo fazem para não deixar Paradela morrer, investindo muitas vezes o dinheiro de uma vida numa nova casa na nossa terra!

É necessário continuar!

A minha já lá está!

lazy butterfly disse...

Ai ai, é Há cerca de 20 anos que se escreve! =)

Já agora, pelo que vejo, não creio ter sido há tanto tempo, há casas que se vêem e me lembro de serem construídas...

anywhoo, aprende a escrever!!! :P

beijinhos,
Manela