“Eu amo Trás-os-Montes naquele silêncio das florestas e das estradas afastadas que aguardam ora a neve, ora o pavor do Verão. Amo-o ainda mais quando vejo a cor da terra e a sombra dos seus castelos em ruínas, quando suspeito o fundo dos rios, os recantos junto dos açudes e a altura das árvores. E perco-me desse mal de paixão, quando, de longe, Trás-os-Montes se assemelha vagamente a uma terra prometida aos seus filhos mais distantes, ou mais expulsos, ou mais ignorados, ou mais mortos apenas. E amam-se aquelas árvores porque vêm do interior da terra, justamente, sem invocar a sua antiguidade ou a sua grandiosidade. Ama-se o frio, até, o esplendor das geadas sobre os lameiros, o sabor da comida que nunca perdeu a intensidade nem a razão. E amam-se os rios, os areais, os poços das hortas, as cancelas de madeira que vão perdendo a cor, e talvez se amem o fogo das lareiras, os ramos mais altos dos freixos e das cerejeiras, os jardins abonecados das suas cidades, o granito das casas, o cheiro das aldeias onde ao fim da tarde se chama paz ao silêncio e se dá nome de chuva à água do céu.”
Francisco José Viegas

domingo, 22 de novembro de 2009

Magusto

Realizou-se mais uma vez, a festa-convívio, relacionada com
o S.Martinho, na antiga escola em Paradela.


Esteve tudo muito bem, não faltaram as sardinhas, as fêveras, as castanhas...

A boa "pinga"...e é claro, a boa disposição.



O trabalho de assar as sardinhas e a carne era mútuo, mesmo assim foi complicado, devido ao imenso calor que a fogueira fazia! Já as castanhas, essas, foram assadas no forno da sª Olga (se não me engano...)


O frio e a chuva ameaçadora, também fizeram questão de nos fazer companhia, mesmo assim, não nos deixamos intimidar .
Bem no meio daquelas pessoas , havia uma que se destacava e por isso me despertou mais a atenção, era o "Tonho russo", com aquele guarda-chuva, muito bem identificável. Pois claro...aproveitei logo para lhe tirar uma foto. O Sr António também merece.

Quando fui para casa, já o dia tinha dado lugar á noite, ficando lá ainda alguns fidalgos.

2 comentários:

Helena Teixeira disse...

Olá Fidalgos!
Assim sim,é um Magusto convívio que vale a pena ir.À moda tradicional,com sardinhas e bifanas e tudo.Acho que até senti o cheiro na foto.Parabéns!

Aproveito e deixo um convite: participe na Blogagem de Dezembro do blogue www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
“O tema é: O Natal na minha Terra”
Basta enviar um texto máximo 25 linhas e 1 foto para aminhaldeia@sapo.pt até dia 8 de Dezembro. Participe. Haverá boa convivência e solidariedade!

Jocas gordas
Lena

euroluso disse...

Magusto muito participado!
Parabéns a quem o organizou, pela capacidade de agregar tanta gente da aldeia ao magusto e por manter viva a tradição de assar castanhas no contexto de uma festa comunitária.
ap