“Eu amo Trás-os-Montes naquele silêncio das florestas e das estradas afastadas que aguardam ora a neve, ora o pavor do Verão. Amo-o ainda mais quando vejo a cor da terra e a sombra dos seus castelos em ruínas, quando suspeito o fundo dos rios, os recantos junto dos açudes e a altura das árvores. E perco-me desse mal de paixão, quando, de longe, Trás-os-Montes se assemelha vagamente a uma terra prometida aos seus filhos mais distantes, ou mais expulsos, ou mais ignorados, ou mais mortos apenas. E amam-se aquelas árvores porque vêm do interior da terra, justamente, sem invocar a sua antiguidade ou a sua grandiosidade. Ama-se o frio, até, o esplendor das geadas sobre os lameiros, o sabor da comida que nunca perdeu a intensidade nem a razão. E amam-se os rios, os areais, os poços das hortas, as cancelas de madeira que vão perdendo a cor, e talvez se amem o fogo das lareiras, os ramos mais altos dos freixos e das cerejeiras, os jardins abonecados das suas cidades, o granito das casas, o cheiro das aldeias onde ao fim da tarde se chama paz ao silêncio e se dá nome de chuva à água do céu.”
Francisco José Viegas

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Sondagem


Na barra lateral foi aberta uma sondagem relativa ao timing da realização da festa de Nossa Senhora da Penha. Apelo à Vossa participação.
Saudações Fidalgas

4 comentários:

Anónimo disse...

Inicialmente esta festa era realizada em Outubro e como tal deveria voltar a ser realizada nessa altura até porque nnão haveria mais nenhuma e os conjuntos e bandas seriam bem mais baratos.

saudações fidalgas

Anónimo disse...

Eu penso que a festa deve ser realizada em Agosto! È certo que o seu verdadeiro dia é em Outubro, mas nos dias que correm não faz sentido ser nessa altura... A festa é para todos os Fidalgos e a altura em que as famílias se reúnem é no Agosto!
Tenho pena que na nossa terra fazer a festa seja sempre um grande problema, olhemos nas freguesias vizinhas... Penso que os nossos emigrantes deviam ser mais generosos para a realização da nossa festa anual, afinal é sobretudo para eles.
Tenho dito.

Anónimo disse...

É o povo que deve decidir como maior interessado.
Também penso que os nossos emigrantes se estiverem assim tão interessados numa grande festa, podem sempre colaborar com a principal festa da aldeia ou seja a do dia cinco de Agosto.

Márcio Santos disse...

Olá amigos! Este ano pela primeira vez e por motivos profissionais não pude estar presente na festa da nossa terra! Gostaria de pedir informação sobre a entrega do Ramo! Foi entregue? E se sim, a quem?
Obrigado.